Cafés
Comentários 5

Cafés e Cervejas em Curitiba

Mês passado fui para Curitiba a fim de acompanhar meu namorado em uma série de afazeres que ele tinha por lá. Antes embarcar, perguntei para meus amigos o que deveria conhecer por lá. Falaram-me do Botânico, do Museu do Niemeyer, do Bosque Alemão e de incontáveis outras coisas. Algumas das tarefas do meu namorado acabaram me envolvendo indiretamente também e, no final de tudo, não consegui ir a nada que fosse turístico na cidade.

Fugir do que é turístico tem um lado incrível! Eu me apaixonei pelo cotidiano de Curitiba. Ficamos hospedados próximos dos campus de artes e humanas da UFPR, ou seja, um bairro repleto de bares e cafés. E foi justamente essas duas coisas que mais me entretiveram por lá (as duas coisas que eu mais gosto em qualquer cidade, diga-se de passagem!). Separei dois cafés que vocês precisam conhecer e um bar que me encantou ao ponto de eu ficar triste em ter que voltar para São Paulo, só porque ficaria longe dele.

Fingen Café

Rua Amintas de Barros, 13

É um espaço em uma esquina pouco chamativa, mas absolutamente charmoso. O lugar muito bem decorado e super confortável para passar um tempinho fazendo suas coisas, seja lendo, escrevendo ou trabalhando. Eles tem no cardápio uma variedade enorme de cafés. Eu fiquei no simples: pedi um capuccino e um brownie com sorvete.

Ao longo dos dias em que estive em Curitiba busquei cafeína em muitos lugares e em todos notei que o café servido era mais fraco do que o de São Paulo. O mesmo se aplica a todas as outras bebidas que possuem café no preparo. O capuccino do Fingen café era saboroso, mas me pareceu quase aguado – o que não é o meu gosto. Em compensação o brownie estava divino. Poucos lugares sabem servir um brownie, porque sempre tem alguém que pensa que a massa deve sair “fofinha”, ou que simplesmente te servem um bolo de chocolate dizendo que é brownie. Apenas admirem a foto e me digam se isso não é um senhor brownie!

Bello Caffé

Rua Comendador Macedo, 371

Charmoso como o Fingen, mas de um modo diferente, como se estivéssemos entrando na casa de alguém. O dia estava quente, então pedi um capuccino gelado, porque as chances de me servirem leite batido com café eram altíssimas: se a bebida fosse bem feita eu sabia que era um lugar que valeria a pena estar aqui. Dito e feito! Por oito reais me deliciei com esses dois copos de capucino cremoso, gelado na medida certa, docinho e com um preço bastante justo.

Ainda assim notei diferenças com São Paulo: Em nenhum lugar que pedi capuccino me serviram um docinho e um pouquinho de água com gás. Teve lugares que o capuccino era claramente leite não vaporizado, café e MUITO chantilly por cima para disfarçar e dar boa aparência a tudo. Mesmo assim, o que provei de bom valeu por tudo!

Baba Salim

Rua Amintas de Barros, 45

Okay, agora eu gostaria da atenção de todos para dizer que meu coração ficou nesse lugar. Sério. Trata-se de um bar nas proximidades da universidade e em frente ao Teatro Guaíra. A porta verde com vidraçaria está sempre fechada, de modo que quando entramos o ambiente é quentinho e a voz das pessoas que estão lá dentro nos inundam. Os donos são filhos de libaneses e boa parte da família parece trabalhar lá, responsáveis pelo melhor atendimento que tive em toda a viagem. A decoração toda do lugar remete ao oriente médio. Há cartazes com fotos da palestina, de lindas muçulmanas com véu e um sorriso tímido, pratarias e tudo isso misturada a uma parede amarelo-alaranjado que dava um ar surpreendentemente acolhedor a tudo.

Falafel, beirute e esfirras de frango e kafta. Fotos ruins, porque, né, estava suuuper altinha!

Os pratos árabes lá servidos são diferentes de qualquer prato árabe que eu havia comido: o tempero é caseiro, tal como as receitas. No cardápio está tudo aquilo que se espera da comida típica, como kibe, esfirra e beirute – tudo artesanal! Mas se quer fugir do comum peça aquilo que vai marcar seu paladar. Experimente o falafel, o kebab e a pizza libanesa – tudo assado na hora – com várias cervejas para acompanhar. Agradeça-me depois pela dica!

Bônus: Mafalda Café e Bistrô

Rua Tibagi, 75

Entrei e estava tocando a trilha sonora de Amélie: Me diz se eu ia deixar de falar de um lugar assim por aqui? Apesar de ser um café, eu não tomei café nele (PASMEM!). Estava com fome, precisava almoçar e tudo ali me pareceu simpático o suficiente para eu tentar. O self-service não é para quem gosta de frituras e comidas pesadas: repleto de saladas, arroz integral, grão de bico e meu amado broto de feijão. Quem me conhece sabe o quanto amo tudo isso! O espaço é agradável e na temática “vamos fazer disso um pedaço da Argentina”. Tem tirinhas da mafalda no tampo das mesas, área para comer ao ar livre, pôsteres de filme e charme para dar e vender.

Quero muito voltar para Curitiba, para turistar e para beber (seja café ou cerveja). Cidade linda que me senti estranhamente acolhida. Quem sabe um dia…

Anúncios

5 comentários

  1. fernwehrabbit diz

    ai, que delícia. vou sonhar com esse brownie lindo aí ❤ valeu as indicações, se algum dia eu conseguir visitar esse lugar lindo, vou procurar esses cafés.

    beijo

    Curtir

  2. BA MORETTI diz

    ai que saudade de curitiba. as vezes que fui não pude aproveitar esse tipo de programa :~ anyway, dispenso a cerveja mas fiquei babando pelos cafés e comidinhas 🙂

    Curtir

  3. Prefiro, mil vezes, esses roteiros diferentes, como conhecer cafés, do que os turísticos metódicos.

    p.s Cristina, conheci seu blog a pouco tempo e estou apaixonada ❤

    Curtir

  4. Curitiba é um lugar simplesmente apaixonante, dentre todos os pontos turisticos da cidade o bosque do alemão sem dúvidas é um dos lugares de onde eu gostaria de sentar e nunca mais sair, aquela torre do sino me remete a um mundo completamente paralelo. Sempre razoavelmente vazio é um lugar que por si só conta histórias, não só a de João e Maria nas trilhas mas as histórias de amor cravadas na madeira e por toda parte: Apaixonante ❤
    E claro Santa Felicidade, que só pelo nome ja explica muito né? Tanto vinho bom naquela terra, mas o choconhaque daquelas terras SEM COMPARAÇÃO até hoje.
    Mas eu me irrito muito com Curitiba, e não é por causa da fama deles de serem ranzinzas não é porque sinto falta de São Paulo, a cidade é muito verde falta cinza. Falta Pedra. Falta prédio. Falta pressa.
    No entanto, um ótimo lugar para fugir ❤

    Curtir

  5. O gente, a vontade de conhecer Curitiba só ficou um zilhão de vezes maior depois de ver esse monte de foto de comidinha gostosa e lugar descolex pra passear *__*
    Vamos marcar uma trip das bloggers pra lá ❤

    Curtir

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s